quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Desapressar o tranco

Ando mais devagar neste início de ano. A verdade é que tenho consciência de que muitas vidas passarão pela minha vida de agora em diante, de modo que preciso saber dar um passo de cada vez. Não sei como será o amanhã e talvez seja melhor assim. Ao longo do tempo, sofrer por antecipação, não tem feito bem pra mim e pra tudo que tem a minha volta.

Então, o negócio e desapressar o tranco.

***

O cantor Paulo Fogaça, com passagem pelos grupo Os Tiranos, Os Nativos, Marca Nativa e Chiquito & Bordoneio, após quatro anos se dedicando à carreira solo, anunciou no início deste mês que se junta ao grupo Manotaço, de Tapejara/RS.

Sucesso ao patrício serrano e ao grupo Manotaço!

***

Nossas orações e fé pela recuperação do cantor Ivonir Machado, que sofreu um AVC no último sábado.

Eu sei bem a cruzada que é a recuperação e sigo na torcida. Ivonir Machado é um dos grandes talentos que a música gaúcha pariu.

***

Recebi com desalento e tristeza a notícia do falecimento do amigo Paulinho Medeiros, hoje, em São Chico. Na sexta-feira estivemos com ele comemorando a formatura de sua filha Ana Elisa. Domingo estaríamos comemorando os seus 70 anos.

Uma grande pessoa, de coração grande, respeitoso. Um grande amigo de toda família. Mais um dos bons que se vai.

Uma lástima!

Meus sentimentos à toda família, em especial a Ana Elisa; força! Que Deus conforte o coração de todos.

***

Abraço a todos.

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Recomeço...

Quando este blogue surgiu, antes de abrirmos espaço para assuntos pertinentes a vida e a sociedade, detinha o propósito de falar tão somente das coisas do Rio Grande, da música e da cultura. Moldei meu crescimento sob amparo de grandes figuras Gaúchas. Não escondo que para mim Érico Veríssimo é o maior de todos e que a poesia de Mário Quintana é algo que ultrapassa este mundo. 

Algumas vezes, no último texto do ano, trouxe esta feliz conceituação de Mário Quintana:

"Bendito quem inventou o belo truque do calendário, pois o bom da segunda-feira, do dia 1.º do mês e de cada ano novo é que nos dão a impressão de que a vida não continua, mas apenas recomeça..."

Partiu de mim, todavia (ao menos penso que sim), definir que a nossa vida é um livro feito de páginas em branco, cuja responsabilidade pelo preenchimento é do ator principal, ou seja, cada um de nós. E por muitas vezes é necessário colocarmos um 'ponto final' em algumas páginas, começando um novo capítulo na página seguinte.

No dia 07 de abril de 2008, como o título "Meu Jeitão Bem Bagual", começava a história do BLOG DO CAMPEIRO, uma feliz ideia que tive, após inspiração do meu caro amigo Antônio Dutra Jr., um primo muito mais de afeto do que de laço sanguíneo. De lá para cá, construímos uma bela existência, com muitos altos e alguns baixos, abrindo as portas para aqueles que gostam da tradição e que, acima de tudo, gostam de ler algo com opinião!

Agora em 2018 o BLOG DO CAMPEIRO completa seu festejado e derradeiro ANO 10.

Uma decisão destas não foi tomada, ontem, obviamente. Há pelo menos dois anos eu trabalho com a ideia de descontinuar este espaço; algo que decidi, enfim, agora. Após esta publicação, restarão 61 textos para alcançarmos a postagem de nº 1000, a qual deverá ser a última da história do BLOG DO CAMPEIRO.

Digo que deve, pois não penso em acabar, algo terminativo e fatal. Mas sim descontinuar o que, no meu ponto de vista, permitira-me, vez ou outra, talvez abordar algum tema por aqui, em sendo este de interesse coletivo e indispensável.

Não há data para alcançarmos o texto derradeiro. Passarei a ser menos frequente, por aqui, a partir de agora, com o objetivo de qualificar esta última caminhada do BLOG DO CAMPEIRO.

De antemão, deixo claro que sentirei muita falta disso tudo, de estar aqui todas as semanas, conversando, debatendo e apresentando a minha humilde opinião, mas sempre minha. Meus agradecimentos ao Antônio, ao Rodrigo que muito bem colaborou com o sucesso deste projeto, e a todos os amigos e amigas que estiveram aqui nos últimos 10 anos.

Bendito quem inventou a ideia de que a vida sempre pode recomeçar. Vou encilhar meu pingo e seguir a estrada, porque já é chegada a hora.

Fraterno abraço a todos e conto com vocês mais um pouco...

Bruno Costa - Campeiro.

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Viva e seja feliz! Realmente...

Acabou passando o tempo de criança e não tive a oportunidade de ver Papai Noel descendo pela chaminé. Mas muito vi o Papai Noel chegando em minha casa, vestindo a tradicional roupa vermelha e carregando um saco com presentes. Já falei disse certa feita, por aqui Como era bom ser criança e poder acreditar em tantas crendices. Ter uma ideia pura e cristalina de esperança; reunir a família em torno da ceia de natal. Comer. Comer. Comer. Aí a gente cresce e o que resta daquele tempo? Comer, comer e comer. Tão somente.

Este ano, contudo, resolvi voltar a pensar como criança. Por que não? Nós adultos também podemos (e devemos!) acreditar em Papai Noel. Vamos parar com hipocrisia! Qual o problema de acreditar no mundo da fantasia? Ainda mais se pensarmos que a o mundo da fantasia não nos trás surpresas desagradáveis. Temos que parar de pensar que é caretice ser feliz, sonhar, acreditar e viajar no mundo da magia do natal.

Este ano, talvez - enfim, dei-me conta que não preciso muito para sobreviver, viver e ser feliz. E do pouco que tenho, eu já tenho tudo. Não há nada mais importante que a minha família. Que o Bernardo, a Mariana, o Rocky, a Mel, o Arthur, meus pais, mas Avós... Que o mais importante é viver, viver intensamente e ser feliz. Como for possível.

O dia de natal é o mais importante. Hoje é o dia para ser aquela criança que, juro, nunca saiu de dentro da gente.

Precisamos ter fé, esperança e motivação mas, acima de tudo, temos que aprender a viver. Vivendo, na 'assepsia' da palavra, não há outro caminho senão o da felicidade. Aprenda a ser feliz, que saberás visualizar o mundo de outra forma, encontrando coisas boas em cada cantinho dele.

Precisamos acreditar que o ano novo que se aproxima é a oportunidade única de recomeçar a vida, fazer tudo diferente. Eu acredito nisso, e você.

Viva, realmente, e seja feliz.

Precisamos de tão pouco.

Torço para que Papai Noel desça pela chaminé hoje. Traga bondade, fé e esperança.

Torço por ver fogos de artifício. Luzes. Respirar um ar puro.

Viver e realmente ser feliz.

Feliz Natal!

Feliz Ano Novo!

Seja bem vindo 2018...

sábado, 23 de dezembro de 2017

Parabéns, Mariana!

Hoje é o aniversário da minha prenda, a mulher que amo, a Mariana. Há trinta e um anos atrás ela veio ao mundo com um propósito, que é transmitir amor e bondade. Não falo isso por pura e demagogia: a verdade é que ela é uma pessoa do bem e que gosta de fazer o bem para outras pessoas.

Este ano a Mariana nos deu um susto bem grande, quando teve um AVC. Foi certamente o pior momento da minha vida, pois eu tinha a certeza que tudo que ela estava passando não era justo. Ela merecia ( e merece!) muito mais pra vida dela. 

Se tem uma pessoa que merece ser feliz, esta é a Mariana.

De alguma forma ou de outra, pensei dias atrás que precisamos neste dia de hoje voltar no tempo. Precisamente há exatos quatro anos. De alguma maneira, diante de certas coisas que aconteceram, a vida dela, e talvez a minha, ficou meio que presa lá atrás. Não na sua totalidade, é claro, afinal, construímos muita coisa e ganhamos nosso principal presente, fruto do amor incondicional, que é o Bernardo.

Hoje é um bom dia para, numa ideia de "efeito borboleta", corrigir o rumo do que por acaso não ficou resolvido lá atrás.

Hoje é o dia de dar um novo passo rumo a felicidade completa.

Hoje é o dia de recomeçar a viver, de forma plena.

Hoje é o teu dia, Mariana (um deles)!

Feliz Aniversário. Que tenha saúde, paz, sucesso, alegrias, felicidade...

Viva a vida intensamente!

Nós estaremos contigo, sempre!

Nós que tanto de amamos!

E Deus vai nos guiar por estes novos caminhos!

Com amor...

Com carinho...

Com muitos beijos (alguns melados)...

E upas... Muitos upas....

Bernardo, Bruno, Mel e Rocky!

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Ator principal.

Do início de abril de 2006 até o verão de 2008, por razões contratuais, não tive um dia sequer de férias. Em fevereiro de 2007, durante o feriado de Navegantes (trabalhava em Porto Alegre), resolvi esticar e ir para a praia, de ônibus. A praia era Curumim, que referi na publicação anterior. Não foi pouco proveitoso em razão da praia, mas sim, em função de um mal jeito que me deu nas costas, quando ainda em Porto Alegre quis colocar a mala nas costas para agilizar o caminho. De três dias, com otimismo, aproveitei a metade disso.
Até então, tinha sido o máximo que eu tinha ficado sem férias.

Tinha.

Minhas últimas férias, junto com a Mariana, foi em janeiro de 2014, salvo engano. Férias que tiveram alguns sobressaltos, já que o meu telefone já tocava para resolução de problemas de terceiros. Como ainda não tinha um preparo emocional para lidar com a situação, passei 4 ou 5 dias em Santa Catarina com o coração na mão, temendo ter de voltar às pressas.

Na época ainda sonhava em mudar o mundo com meu ofício.

Depois, nunca mais. Em 2015 deixei de ir porque meus cães eram filhotes e não queria deixar os mesmos na casa dos outros. 

Aí veio o Bê.

Todas desculpas, obviamente.

A verdade é que nos últimos 5 anos, pelo menos, tenho apenas visto a vida passar diante dos meus olhos. E agora, em 2017, depois que a mulher que eu amo quase se foi, dei-me conta disso. Somente agora.

Imaginem vocês tudo que eu já perdi?

Enfim, sequer posso me dar ao luxo de pensar em tudo isso. 

Hoje, passadas as 18h, começa o recesso da justiça. Fórum fechado até dia 08/01/2018; prazos suspensos até o dia 20 do mesmo mês. Não posso dizer que vou conseguir tirar umas férias, como eu e minha família merecemos, mas haverei de buscar chegar mais perto disso. E como irei buscar.

Não mais abrirei mão de segundos preciosos com minha família, as pessoas que tanto amo, por nada e por ninguém. Por dinheiro nenhum no mundo.

Ao final da minha passagem por esta vida, no derradeiro leito, quero pensar que valeu a pena viver. Do contrário, fui apenas mais um figurante.

Não vim para somar. Vim para ser o ator principal do meu destino.

Seja muito bem vindo recesso! Acaba logo 2017!

Boa semana a todos.

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Chasque do começo do verão

É dia de sol a pino e amanhã vai ser pior. Enfim, o verão. Não que eu goste, mas também já não reclamo mais. Adianta? A promessa de temporal pra ontem não vingou e o de domingo, nem sei se vem.

Certa feita estava num versão em São Chico. talvez até morasse lá ainda. Recordo-me de um temporal que deu na cidade, coisa feia. Meia hora depois, um belo sol no fim de tarde. E foi assim que se terminou o dia.

***

Pois muitos verões eu passei de férias na Cazuza Ferreira, na Fazenda do Boqueirão, em São Chico, quando já morava em Novo Hamburgo. As idas para praia, eram para Curumim, talvez Arroio Teixeira ou Bom Jesus. Santa Catarina veio depois.

***

Entrei em Curumin na semana passada, já que há mais de 10 anos não passava por lá. Confesso-lhes que a nostalgia deu lugar aos desconsolo. Pareceu-me parada no tempo. Uma pena!

Por um tempo (pouco) tinha um bailão em Curumim. Logo trataram de dar fim, porque atrapalhava o sossego. Louvável que idosos aproveitem para curtir sua aposentadoria na praia. Mas sem movimento, elas se terminarão.

***

Dali segui minha viagem. Resolvi subir pela Serra do Pinto, outro lugar que há muito não passava.
Posso dizer que foi um passeio.

E tenho certeza que foi de grande valia.

Bom final de semana a todos. 

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Mundo véio virado

Uma música do Xirú Missioneiro diz que "o mundo véio da virado". Claro que o contexto é outro do que vou falar aqui, mas é de se refletir um pouco na ideia geral da coisa. Nesta madrugada tivemos 8ºC na serra gaúcha e 10ºC na região metropolitana. E pensar que estamos em dezembro...

Claro que isso não é tão incomum assim. Lembro-me que no natal de 2010, o primeiro em que a Mariana esteve pelas bandas de São Chico, ela teve de comprar um casaco porque estava (bem) mais frio do que deveria. Aliás, sequer frio deveria estar.

***

Estes dias estava o deputado federal Tiririca dando lição de moral na classe política. Com todo respeito ao Nobre Deputado que, a bem da verdade, jamais deveria ter chego a essa condição, para o bem do país, mas que é muito, mas muito mesmo, mais preparado que a grande maioria dos seus colegas de casa.

Daí ficamos aqui batendo cabeça sem saber em quem vota para Presidente da República, tendo em vista que se correr o bicho pega e se ficar o bicho come, quando na verdade deveríamos pensar em como transformar aquele elefante branco chamado Congresso Nacional em algo produtivo ao país. Se é que isso um dia será mesmo possível...

***

Tenho pensado muito nos rumos da minha vida, ultimamente. Muito mesmo. Para meu desespero, sem chegar a conclusões definitivas. Não vai muito, minha meta chegada esta época do ano era esperar o lançamento de um dos filmes da triologia do "Senhor do Anéis", que sempre estreou no início do ano vindouro.

E pensar que agora nem no cinema vou mais.

Por quê?

Pois é, por quê?

Fazer o que se a vida é das perguntas e não das respostas....

***

A sequencia da semana promete dias escaldantes. Será que o verão finalmente chegou ou é só mais uma ilusão?

Boa semana a todos.